Apresentação


O presente blogue, pretende trazer ao conhecimento dos leitores, a epopeia do ciclismo lusitano desde os primórdios da competição velocipédica.
A colocação dos artigos, não segue uma ordem cronológica ou temática.
Não será publicado mais do que um artigo por dia.
A Redacção
NOTA: O blogue não adopta as normas do designado Acordo Ortográfico.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

O XI Porto-Lisboa de 1933

Diário de Lisboa de 6 de Agosto de 1933

O XI Porto-Lisboa, disputou-se no dia 6 de Agosto de 1933. A partida deu-se às 4H32m da madrugada. Alinharam 21 corredores, representando o Grémio do Alto do Pina (Francisco Matos), o C.F.Belenenses (Manuel Militão Leal), o S.L.Benfica (José Maria Nicolau, Carlos Domingues Leal, Artur Dias Maia, Hilário Pereira, Francisco dos Santos Duarte, César Luís, Carlos Brites de Oliveira), o Lisboa Gimnasio Club (António Duarte Martins), o Club Atlético de Campo de Ourique (João Francisco, Eugénio Martins, Francisco Joaquim da Silva), o Bombarrelense (Francisco Gomes dos Santos), o Grupo Ciclista da Maia (Manuel Fernandes da Silva), o S.C.Salgueiros (Domingos Dias, José Francisco Pigarro, Manuel Ferreira), o Académico F.C. (Germano Gomes Ferreira), o Golegã (José Ferreira Natário) e o independente Albino Sousa Carvalho. À passagem em Coimbra, os leaders eram José Maria Nicolau, César Luiz, Manuel Fernandes da Silva, João Francisco e Dias Maia. Comandava o pelotão, Francisco Santos Duarte. Logo após Leiria, José Maria Nicolau desiste, com fortes dores de rins, depois de uma avaria quase à partida e de um furo. Por essa altura, João Francisco ataca, seguido na roda por Eugénio Martins e Francisco dos Santos Duarte. Próximo de Torres Vedras, uma motocicleta provoca a queda de Eugénio Martins do Bombarrelense e este atrasa-se cerca de 2 minutos. À saída da Malveira, João Francisco descola de Francisco Duarte e entra no Estádio do Lumiar com 6 minutos de avanço, às 16H09m. Eugénio Martins (CACO) chega com cerca de 5 minutos de atraso para Francisco Duarte, do Benfica. João Francisco do Campo de Ourique, bate o recorde da prova com 11H, 42m e 15s.

A vitória de João Francisco no Arquivo Nacional da Torre do Tombo

Instantâneos da prova na Revista Stadium de 9 de Agosto de 1933

Fonte: Diário de Lisboa de 6 de Agosto de 1933
Fotos: Diário de Lisboa, Revista Stadium e ANTT