Apresentação


O presente blogue, pretende trazer ao conhecimento dos leitores, a epopeia do ciclismo lusitano desde os primórdios da competição velocipédica.
A colocação dos artigos, não segue uma ordem cronológica ou temática.
Não será publicado mais do que um artigo por dia.
A Redacção
NOTA: O blogue não adopta as normas do designado Acordo Ortográfico.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Os 50 Km Clássicos

Alberto de Albuquerque vence os 50 Km Clássicos de 1910

Os 50 Km Clássicos, era uma importante prova clássica velocipédica que fazia parte do calendário nacional de competição da Federação Portuguesa de Ciclismo (UVP-FPC) e que normalmente abria a temporada velocipédica em cada ano. Nos anos 20, 30 e 40 do séc.XX, assumiria particular relevância e importância. Contudo, deixaria de fazer parte das provas oficiais com esse nome, no início dos anos 50. Podemos recuar até ao ano de 1910, para a descobrirmos já com essa designação. Em Junho de 1910, a prova realiza-se num percurso com partida no Campo Grande e passagem por Sacavém, Póvoa, Caniços, Loures, Lumiar e chegada às Larangeiras. Dos 45 ciclistas inscritos, alinham somente 37 concorrentes. A partida, marcada para as 14H00, só se verifica às 14H25m. Até Sacavém, os ciclistas seguem em pelotão, mas na subida a seguir a essa localidade, Alberto de Albuquerque e Carlos Barros distanciam-se dos restantes corredores. Em Caniços passam com 5 minutos de avanço e em Loures já com 10 minutos. Carlos Barros, que até aí mantivera-se sempre colado a Albuquerque, acaba por ceder quando este último impõe uma pedalada mais vigorosa, subindo mesmo com facilidade a Calçada de Carriche. Carlos Barros, consegue no entanto manter a vantagem para os restantes ciclistas. Alberto de Albuquerque do Sport Lisboa e Benfica vence, gastando 1h e 38m à média de 30,6 km/h, seguido de Carlos Barros do Q.L., Joaquim Dias Maia e Manuel Larangeira Guerra. O júri da partida era constituído por Cosme Damião do SLB, Falcão Rodrigues da UVP e Idomeu Rocha do Velo Club. Carlos de Barros protestaria a prova, alegando que o carro de apoio de Albuquerque levantava muitas nuvens de poeira, prejudicando assim os outros concorrentes e a UVP acaba por aceitar a reclamação, repetindo posteriormente a mesma a 25 de Setembro.

Eduardo Lopes vence os 50 Km Clássicos de 1943

Fonte: "Os Sports Ilustrados" Nº 2, de 18 de Junho e Nº 15, de 17 de Setembro de 1910
Fotos: "Os Sports Ilustrados" Nº 15, de 17 de Setembro de 1910 e Revista Stadium 1943

Sem comentários:

Enviar um comentário